Homens de esmalte?


Rockstars, celebridades e designers de moda sempre ousaram no hábito de pintar as unhas (Estamos olhando para você Johnny Depp!). Mas o que leva um cara normal usar esmalte colorido? Estilo e tendência! Uma forma de auto afirmação e atitude ou simplesmente o desejo de estar na moda. Pensando nisso, algumas marcas de cosméticos saíram na frente e criaram linhas exclusivas para os homens. Mas quais são as preferências masculinas quando o assunto é esmaltes?

Segundo Mike Potter, criador da marca de esmalte Ko Knockout, há dois roqueiros que estão entre os primeiros clientes do esmalte preto. São eles Ozzy Osbourne e Tommy Lee da banda Motley Crue. O empresário ainda afirma que cria muitas cores pensando nos homens e que estes são apaixonados por esmaltes nas unhas dos pés. As cores são, o cinza claro (Concrete), azul turquesa (Pool) e o verde (Liberty):

Outra marca que aposta nos esmaltes masculinos é a ManGlaze, criada por Marc Alexandre Paez que se orgulha dos homens que usam esmalte. “Nossa missão é mudar o modo com a sociedade vê o esmalte e quem poderia usá-lo”, afirma Paez. E não é só isso, o empresário diz que apesar da cor preta ser um sucesso, ele está se preparando para lançar o branco fosco que promete ser o novo preto.

Uslu criou uma coleção destinada aos Dj´s, que deixam suas mãos à mostra a todo momento trabalhando nas pistas. Outra marca que foge do tradicional, é a BB Coutoure que fabrica esmaltes desde a base até cores metálicas e peroladas.

Quem inspira  a marca Alpha Nail são os lutadores de MMA e campeões do UFC, RogerHuerta e Chuck Liddell assim como o guitarrista da banda Jane`s Addiction, Dave Navarro. Segundo a marca, eles são “machos alfa” que “adornam suas unhas com pintura de guerra”.  Os nomes dos tons são bem sugestivos, como:  “Benjamins” (verde mint ),”Cocaine” (rosa pálido) e “Burnin Rubber” (Azul Escuro) além da coleção de foscos e metálicos.

Veja quem usa e faz a moda:

Slash

Príncipe Harry

David Navarro e Marilyn Manson

Marcelo Antony

Seal

Kingstone, filho de Gwen Stefani com Gavin Rossdale

Back to MAC


Muitas já conhecem, mas tem gente que ainda não ouviu falar do Back to MAC. Por isso, resolvi compartilhar aqui com vocês. Juntando 6 embalagens plásticas vazias da MAC, você pode ir à uma das lojas MAC e trocar por um batom! Perfeito, não?

O Programa tem algumas regrinhas, que são as seguintes:

Devido ao comprometimento com o meio ambiente, a MAC aceita o retorno de suas embalagens através do programa Back to MAC. Ao retornar 6 embalagens à uma loja da MAC você recebe um batom grátis de sua escolha como agradecimento. Como 100% da renda arrecadada na venda dos produtos Viva Glam é destinada à organizações que ajudam pessoas que vivem com o vírus HIV, essas cores são excluídas do programa Back to MAC.

A maioria das embalagens dos produtos MAC é aceita no programa Back to MAC. As embalagens abaixo não são aceitas:

1. A segunda embalagem do produto, ou seja, as embalagens de papel e as sacolas. Embalagens de vidro também não contam, por exemplo, bases e o delineador Fluidline.
2. Amostras, ou seja, frações de produtos que a gente acha à venda pela internet.
3. Aplicadores e utensílios, como esponjas, apontadores, pinças, curvex, etc.
4. Acessórios como necessaires, cílios postiços, cinto para pincéis, etc.

Sei também que a MAC aceita qualquer embalagem que tenha plástico na sua embalagem, ou seja, os lencinhos demaquilantes também servem para o programa. No entanto, tampinhas de lápis, por exemplo, que também são de plástico, não são aceitas. Máscaras também podem ser trocadas.

Batons adquiridos no programa Back to MAC não podem ser usados em um Back to MAC futuro.

Se você mora nos EUA ou está com viagem marcada e tem 6 embalagens pra trocar, existe a opção de trocá-las por uma sombra, um batom ou um gloss em uma loja da MAC. Se for trocar em um daqueles quiosques da Macys, por exemplo, só dá pra trocar por um batom mesmo.

Com relação à pratica do Back to MAC, é muito simples. Eu já fiz uma vez e deu super certo. Então nada de jogar as embalagens fora, o planeta e o seu necessaire agradecem!

CORREÇÃO:

Batons adquiridos no programa Back to MAC não podem ser usados em um Back to MAC futuro.

Na verdade, podem sim! O que não pode é trocar um batom adquirido no Back to MAC por outro de outra cor, pois a nota fiscal é diferenciada.

Marca Registrada


A tatuagem fez durante muito tempo um percurso inglório no mundo ocidental. Saiu da obscuridade para se tornar uma das formas de auto-afirmação mais utilizadas na nossa sociedade. Depois de todos os estigmas pelos quais passou, hoje recebe honras de obra de arte e o seu futuro é ser cada vez mais pessoal. Isso não significa que seja original.

Muitas pessoas tem o cuidado de escolher algo exclusivo e que tenha um significado, outras desejam desenhos já vistos, seja na celebridade do momento ou no rock star preferido.

Não há nada errado em se inspirar em pessoas e tatuagens, desde que tenha realmente a ver com a sua personalidade e o seu estilo de vida.

Bons profissionais podem interpretar suas idéias e desenvolver algo exclusivo para você. Fotos, desenhos, estampas e até objetos servem como referência na hora de criar. Quando eu comecei a me tatuar, achava que quanto mais simples fosse o desenho, mais fácil seria para o tatuador e consequentemente a chance de dar errado seria menor, o bom tatuador é também um bom desenhista; pesquise portfólios e tatuagens já feitas pelo profissional e não subestime sua capacidade, confie.

Pensando em exclusividade, Amanda Wachob, assim como muitos tatuadores é também artista plástica. Suas tatuagens expressam o indivíduo de uma forma diferente: ela cria verdadeiros quadros abstratos sobre a pele dos seus clientes. Tatuagens cheias de cores, e traços leves, caracterizam seu estilo.

Tatuagens são para sempre. Valorize suas idéias e na hora de tatuar pense com qual dos seus “eus” você gostaria de conviver eternamente.

Tatuagens feitas por  Amanda Wachob:

 

OMG, Shoes!!!


Já estavam com saudades do It Some Girls? Eu também!!! Depois de uma semana corrida, volto para mostrar a vocês os sapatos mais legais do mundo!

“Quando eu criar eu quero ser a conversa da sala”, diz Taylor Reeve.  “Eu estou sempre pensando na garota badass, única ,sexy e desejada. A menina que não tem medo de expor sua opinião, a menina cuja confiança vai além. A menina que constrói seu próprio estilo e arrasa”

Essa é a Taylor, uma jovem artista norte-americana sediada em San Diego, Califórnia.  Além de ser designer de calçados, já trabalhou para a Quicksilver e SkullCandy e também faz grafite nas horas vagas. Foi juntando a paixão por artes plásticas e o talento para criar sapatos que Taylor chegou à sua máxima performance criativa: Ela fez um híbrido do que pareciam ser mundos completamente distintos – uniu o glamour e a extravagância dos sapatos de salto à cultura pop marginal e criou a divertida  coleção “Taylor Says”.

A coleção é, no mínimo, bem original. Taylor segue o exemplo de Louboutin e deixa a sua marca no solado, mas ao invés da sola vermelha, marca registrada do estilista francês, a moça imprime em cada sapato os seus desenhos exclusivos: Caveiras de açucar, Pin-ups, Zumbis,Tattoos e etc. todos pintados a mão usando a técnica do grafite. O modelos são únicos  e vendidos em média por 500,00 reais no Etsy. Não são o máximo?!

A história da arte…Nas unhas!


Na próxima vez que você escolher um esmalte lembre-se que esse ritual se repete há 7.000 anos. Isso mesmo – a história do esmalte ou nail art é longa e cheia de altos e baixos, momentos geniais, apetrechos e muito mais.

O It Some Girls retrocedeu na história para entender melhor a prática da decoração dos dígitos que se estende por civilizações e continentes. Aparentemente, nós não somos as únicas que gostam de ter as unhas feitas.

Com vocês, a ilustre história ilustrada das unhas:

5000 aC – Embora a origem exata dos cuidados com as unhas seja obscuro, muitas  fontes dizem que tudo começou na Índia, as mulheres tingiam suas mãos com henna – prática que continua até hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

3000 aC – Os chineses criaram uma complexa formula de goma-arábica, gelatina, cera, tintas vegetais e clara de ovos. Pétalas de rosa e orquídea contribuíram para produzir tons do rosa ao vermelho, mas a aplicação do “esmalte” era complicada e por vezes, deveria ser feita durante a noite, para produzir um efeito pigmentado diferente.

 

 

 

 

 

600 aC Durante a dinastia chinesa Chou, os aristocratas preferiam exibir longas unhas prateadas e douradas. Ponteiras adornadas com jóias protegiam as unhas e eram símbolo de riqueza.

 

 

 

 

 

 

 

 

0-1800 AD – Por um longo período durante a Idade Média, fazer as unhas era  mais ou menos considerado uma coisa do passado. De fato, era a idade das trevas! Foi durante a Renascença que a velha tradição de fazer as unhas voltou a moda entre as ricas mulheres europeias – embora evitassem qualquer tipo de pigmento.

No entanto, houve um ponto positivo neste período; no século 15, oceanos de distância, os Incas inventaram as “unhas artisticas” que conhecemos hoje, eles decoravam as unhas com complexas imagens de águias.

 

1800 – 1900 – Na era vitoriana usavam somente um simples óleo vermelho claro polido com camurça. Esse tratamento minimalista foi em parte devido aos transparentes ideais de beleza interior, higiene física e pureza moral. A etiqueta recomendava somente suco de limão e vinagre para clarear as pontas das unhas, Flauber comparou em seu mais famoso romance (1856) as unhas de Emma Bovary com o mais claro e limpo marfim.

 

 

 

 

1920 – A era irreverente melindrosa dos anos 20 vestia roupas novas e uma nova atitude. Revigorou a cena das unhas com o vermelho old-school, assim como a manicure meia lua.

 

 

 

 

 

 

 

 

1930 – Em 1932, A Revlon lança a sua primeira linha de esmaltes com cores nunca vistas antes! Era possível estar na moda de forma bem econômica durante a Depressão. Inspirado nas tintas automotivas, o maquiador Frances Michelle Menard teve a ideia de usar cores solidas ao invés de somente tingir as unhas. A partir daí, os irmãos Revlon e o químico Charles Lachman colocaram a mão na massa e criaram o esmalte que conhecemos hoje.

 

 

 

1930 – 1950 – Em 1934, o dentista Maxwell Lappe criou o primeiro conjunto de unhas postiças para os pacientes que roíam unhas. Em 1955, outro dentista, Frederico Slack, que após tentar consertar uma unha quebrada com o acrílico, acidentalmente inventou as chamadas extensões de acrílico para unhas.

 

 

 

 

 

 

1960 – Unhas em tons pastel eram populares nos anos 60. Estrelas como Farrah Fawcett e Goldie Hawn combinavam as cores das unhas com os olhos e os cabelos. As unhas ficaram mais naturais.

 

 

 

 

 

 

 

 

1970 – A prática de aplicar longas unhas falsas tornou-se generalizada. Para corresponder a demanda, o número de salões cresceu consideravelmente. Em 1976, o norte-americano Jeff Pink criou a francesinha, perfeita para as ocupadas estrelas de Hollywood.

 

 

 

 

 

 

 

1980 – Assim como na moda, houve uma explosão de esmaltes coloridos e nada tímidos. Tinha de tudo, do neon ao glitter.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1990 – Os anos 90 trouxeram o minimalismo, cores tradicionais como vermelho, nude, e rosa voltaram à moda. Os fãs do grunge também tiveram seus momentos, com esmaltes propositalmente lascados.

Até pouco tempo atrás houve um revival da modinha, lembram?

 

 

 

 

 

 

2000 – Com texturas modernas, brilhos e enfeites, as unhas passaram de simples à um plano elevado. Tem havido um nível de interesse sem precedentes nas unhas artísticas ou nail art, bem como na industria das unhas. Hoje, mãos bem feitas não é somente uma questão de higiene e boa aparência, mas sim um acessório poderoso na hora de compor um look, além de refletir a personalidade e o estado de espírito.

 

 

 

 

Qual a história das suas unhas? Conte para a gente, qual é a sua moda e estilo preferido!

Almanaque da tatuagem


Não é novidade para ninguém que nos últimos anos a tatuagem se popularizou, dois a cada 5 jovens com menos de 40 anos possuem alguma tatuagem, os profissionais da saúde concordam que hoje os riscos são mínimos, os tatuadores estão mais cada vez mais profissionais e os que possuem conhecimentos em belas artes oferecem infinitas possibilidades de desenhos. Ok! Já te convenci que tatuagem é legal e você ta doida para fazer uma, acertei? Antes disso, existem algumas coisinhas básicas que você deve saber:

10 erros comuns na hora de se maquiar


Uma maquiagem bem feita pode fazer toda a diferença, mas existe uma linha tênue que separa um visual maravilhoso de um verdadeiro acidente. Pensando nisso relacionei os 10 erros mais comuns que podem derrubam qualquer visual, dá uma olhada:

1. Base mais escura que o tom original da pele 

O efeito causado pela base mais escura que sua pele é terrível e destaca completamente seu rosto, deixando óbvia a diferença em relação ao resto do corpo.

Para não errar:  Ao comprar uma base, não tenha preguiça de experimentar. A base deve ser exatamente do seu tom de pele ou no máximo um tom acima para igualar com o tom o corpo que geralmente no verão está mais bronzeado.

2. Corretivo muito claro nas olheiras

O famoso “panda invertido” acontece quando o tom do corretivo aplicado nas olheiras é muito mais claro que a tonalidade original do rosto.

Para não errar: Clarear a área abaixo dos olhos é um ótimo truque para iluminar o rosto. O segredo é não exagerar e utilizar um produto que seja no máximo um tom abaixo da cor de sua pele. Outra dica é aplicar a base antes do corretivo, assim você pode avaliar melhor a cobertura realmente necessária.

3. Blush marcado tipo palhaço 

Há garotas que curtem o blush bem marcado nas bochechas, mas, de acordo com os “bons costumes”, o estilo não é nada legal. O produto não deve ficar em evidência, mas sim conferir um aspecto leve de saúde.

Para não errar: Aplique o produto em movimentos circulares e esfume bem. Se necessário, repita o procedimento para construir uma camada mais intensa de cor.

4. Iluminador em excesso 

O produto cria lindos pontos de luz no rosto, mas quando usado de maneira exagerada pode dar a impressão de pele oleosa e suada, além de evidenciar poros abertos.

Para não errar: Utilize o iluminador apenas em lugares estratégicos: nas têmporas (bem acima da maçã do rosto), abaixo da sobrancelha e no canto interno do olho. As versões em creme são mais fáceis de aplicar.

5. Rosto carregado de pó

O pó não deve ser usado para cobrir imperfeições. Utilize-o apenas para dar acabamento à base e assentar o make. Muitas camadas do produto sobre a pele podem resultar em uma maquiagem superpesada e com cara de reboco.

Para não errar: Passe o pó apenas na zona T (testa, nariz e queixo), que costuma ser mais oleosa que as demais áreas do rosto. Utilize um pincel gordinho para espalhar bem o produto. Se quiser, dê preferência às versões de pó translúcido, ele não adiciona cor.

6. Sombra mal esfumada 

Lançar mão de cores diferentes de sombras requer cuidado, as tonalidades devem ser muito bem esfumadas para não criarem manchas de cor.

Para não errar: Use um pincel com cerdas volumosas para esfumar as sombras. Suavize o tom mais escuro até que ele se mescle com a cor mais clara.

7. Lápis de contorno mais escuro que o batom 

Nem pense em sair de casa com esse visual. “Lápis marcando os lábios é muito anos 90!

Para não errar: O lápis deve ser da mesma cor do batom para que o contorno dos lábios não fique marcado. Um truque legal para fazer com que a cor nos lábios dure mais é aplicar o lápis por todo o lábio e finalizar com o batom. A Contém 1g. tem um lápis transparente que serve para todas as cores de batons.

8. Boca melecada de gloss

O gloss é tendência para o verão, mas nem por isso você precisa sair por aí com a boca lambuzada de brilho, certo?

Para não errar: Aplique o produto apenas no centro dos lábios e espalhe com um pincel para o restante da boca.

9. Muito iluminador abaixo da sobrancelha

Como já comentei, iluminador faz toda a diferença, mas se usado com parcimônia! Principalmente abaixo das sobrancelhas, a não ser que a maquiagem Drag seja proposital, ao contrário é brega mesmo.

Para não errar: Evite usar sombra prateada, opte por tons claros como champagne, bege e rosa clarinho e nem sempre o iluminador precisa ter brilho, você pode usar uma sombra clara e opaca, o resultado é tão bonito quanto o brilhante.

10. Batom mate com lábios ressecados

A textura mate é uma das mais difíceis de aplicar. Por ser seca, é preciso que os lábios estejam bem hidratados e sem peles soltas.

Para não errar: Esfolie e hidrate os lábios antes de aplicar o batom. Pode ser com Bepantol que é ótima ou o lip balm de sua preferência. Isso evita que a boca fique com um aspecto rachado e propicia melhor cobertura.

Coleção Mad Men – Estéé Lauder


Quer parecer tão linda como a atormentada dona de casa Betty Drapper? Quem é fã da série Mad Men vai adorar essa novidade – a Estée Lauder está lançando uma linha de makes inspirada no visual anos 60 da série.  São duas coleções de maquiagem em edição limitada. A primeira chega em Março, para coincidir com a estreia da quinta temporada nos EUA, e a segunda coleção será lançada junto com a sexta temporada , em 2013. Para começar, blush cremoso e batom em tons de cereja, bem retrô, assim como as embalagens.

A parceria entre a série e a Estéé Lauder não é por acaso, os anos 60 foram a época áurea tanto para a marca como para a sua criadora, a própria Estéé Lauder. Filha de imigrantes judaico húngaros, ela começou vendendo cremes para o rosto que eram fabricados por seu tio John Schotz, um químico vienense, em sua própria cozinha. Seus primeiros clientes foram Florence Morris, a proprietária de um salão de beleza no bairro de Upper West Side em Nova York, e suas freguesas. Decidida a investir na beleza, ela, juntamente com seu marido, Joseph Lauder, fundou, em 1946, uma empresa fabricante de produtos de beleza e cosméticos com seu nome (ESTÉE LAUDER COMPANIES), que rapidamente se tornou sinônimo de qualidade, feminilidade e sofisticação.

Anúncio do batom Swiss Strawberry, Estee Lauder (1964)

Maquiagem para as "modernas" (1965)

Beleza em 10 minutos


Pressa não é desculpa para sair de cara lavada. Tenho certeza que em 10 minutinhos no máximo você consegue finalizar uma make, e mais certeza tenho de que nós, mulheres, temos o básico do básico para iniciar uma simples maquiagem, não é mesmo?

Vamos lá, coragem! Seja onde estiver, que tal dar um tapa no visual? Notem como podemos ficar mais bonitas e receber elogios quando estamos com a cútis linda. 😉

Follow my blog with Bloglovin

Cabeça feita


Sabe aqueles penteados que a gente vê nos red carpets, desfiles ou revistas e logo pensa – só um cabeleireiro pode fazer isso! Que nada, é mais fácil do que a gente pensa…Fuçando no Pinterest, encontrei muitos DIYs sobre penteados, alguns bem fáceis e outros com grau de dificuldade um pouquinho maior, mas nada impossível de ser feito por nós mesmas. Reserve um tempinho para treinar antes de por em prática, tenha paciência e mãos à obra!

Coque Alto – penteado favorito das meninas de Paris. Prático, ótimo para o dia-a-dia ou noite. Não requer grandes preparos como escova e chapinha (ufa!). Se você tiver cabelo muito liso, pode dar uma texturizada com babyliss, mas essa parte é opcional. Você vai precisar de grampos e spray de cabelo.

Coque baixo lateral – Legal para casamentos e festas glamurosas. Antes de começar o penteado faça uma escova e modele a franja com babyliss. Faça uma risca lateral e reserve a franja. Com um pente desfie a parte superior, divida em mechas, torça e enrole. Faça vários coques e finalize prendendo a franja lateralmente. Você vai precisar de spray e grampos, se quiser usar um broche na lateral, fica lindo também.

Coque baixo bagunçado – essa versão é parecida com a de cima, mas mais descontraída e fácil de fazer!

Trança lateral – Trata-se de uma trança embutida que vai descartando as mechas de um lado e pegando mais cabelo para repor. Essa é boa para cortes de cabelo médios ou repicados.

Trança Espinha de Peixe – a primeira coisa a saber é que, ao contrário das tranças convencionais, a espinha de peixe não é feita com o cruzamento de três grandes mechas de cabelo. O cabelo deve ser dividido em apenas duas partes.

Em seguida, separe uma pequena mecha de um dos lados e junte-a à mecha grande do outro lado, e vice-versa. É importante apertar um pouco o penteado depois de cada movimento, para que o resultado fique mais firme. Trance uma mecha sobre a outra, até que todo o cabelo esteja preso.

Como essa é um pouquinho mais complexa, encontrei um vídeo que explica melhor: