Fashion Kiss


Revistas de moda adoram fazer editoriais inspirados em ícones do rock, depois de Kate Moss encarnar David Bowie na Vogue francesa e Daphne Guinness na Vogue alemã , chegou a vez da V Magazine nos presentear com o mais sexy tributo ao KISS. As modelos Pauline Van Der Cruysse, Cate Underwood, Nikole Luna e Amanda Ware foram fotografadas por Benjamin Lennox e quem assina o styling é Tom Van Dorp.

Pergunta: qual a relação entre os vestidos matadores do Anthony Vaccarelo e o KISS? A resposta é simples, KISS é sexy, é atitude e diversão desde 1973. E para quem não acredita, KISS também é glamour!

Anúncios

On The Cover


As capas dos álbuns falam muito sobre o estilo, música e a história das bandas. Aqui eu selecionei algumas que além de serem ícones, são obras de arte, confira:

Pink Floyd – Dark Side Of the Moon 1973

Forte, Icônica e simbólica, A capa foi criada por Storm Thorgerson, designer gráfico e fotógrafo da banda. A ideia inicial era uma foto do Surfista Prateado, a banda recusou e então veio a idéia da dispersão da luz através do prisma que remete as letras e as extravagantes luzes dos shows.

The Velvet Underground – The Velvet Undreground & Nico 1967

Essa arte tornou-se marca registrada tanto de Andy Warhol como do Velvet Underground. O artista criou a famosa capa durante um dos ensaios da banda. Nela, tentou captar a essência das letras de Lou Reed que abusava da palavra sexo das mais estranhas maneiras.

The Rolling Stone – Stick Finger 1971

Novamente Andy Warhol e dessa vez em parceria com o fotógrafo Billy Name. A idéia de abrir um ziper na capa do disco era genial mas a praticidade era 0. O zíper arranhava o vinil e os comerciantes começaram a reclamar obrigando a gravadora mudar a posição do zíper. A língua dos Stones foi usada pela primeira vez nesse álbum, o primeiro da banda na década de 70.

The Beatles – Abbey Road 1969

Essa foto foi feita dia 8 de Agosto de 69 por Ian Macmillan do lado de fora dos estúdios Abbey Road e quem a escolheu foi Paul McCartney. Fato curioso é que essa capa alimentou rumores paranóicos que Paul estava morto. Ao todo, são 12 ‘pistas’ na capa de Abbey Road, que os teóricos da conspiração acreditam “provar” que Paul morreu em um acidente de carro em 1966 e estava sendo interpretado por um ator.

The Strokes – Is This It 2001

Pele nua e couro são elementos um tanto clichês, mas deu certo na foto clicada por Colin Lane. A Capa foi feita enquanto sua namorava desfilava nua pela casa. A capa foi proibida nos EUA e substituída por outra menos ousada.

Kiss – Dressed To Kill 1975

Kiss eternizado por Bob Gruen, uma das fotos mais lindas! A banda foi fotografada numa esquina de Nova Yorque próxima ao estúdio em que gravavam o seu terceiro álbum. Bob emprestou as gravatas, o empresário Bill Aucoin os ternos e a esposa de Bob emprestou os tamancos para o Gene.

Debbie Harry – KooKoo 1978

A beleza de Debbie Harry foi ilustrada por H.R. Giger, artista plástico surrealista dono de um estilo único e marcante pela ousadia, obscenidade e desconstrução. Além de criar o cenário do filme Alien, ilustrou a capa do álbum Frankenchrist, dos Dead Kennedys e Brain Salad Surgery da banda Emerson Lake and Palmer.

Iron Maiden – The Number Of The Beast 1982

Derek Riggs fez essa ilustração para a capa do single Purgatory (do álbum anterior, Killers) a arte era tão boa que a banda preferiu usa-la no álbum seguinte, o The Number Of The Beast. A edição de 1982 apresenta um céu azul, foi um erro ocorrido na hora da impressão que só foi retificado por preto na edição remasterizada de 98.

Nirvana – Nevermind 1991
Kurt Cobain e David Grohl tiveram a idéia enquanto assistiam a um programa sobre partos em baixo d’água. Hoje o bebê da foto, Spencer Elder tem 20 anos e seus pais
receberam na época $200,00 pela foto.
The Rolling Stones – Some Girls 1978
Idealizada pelo artista gráfico Peter Corriston, a capa traz os 5 integrantes maquiados e usando perucas com cortes de cabelo iguais as atrizes Marilyn Monroe, Farrah Fawcett, Judy Garland, Raquel Welch e Lucile Ball. Parte delas ficou ofendida com uso de suas respectivas imagens e ameaçou entrar na justiça contra a banda.

Influências do Rock na moda de 60 a 80


Rock não é só música, mas também visual e atitude. Não dá para passar batido a contribuição de estilo que os Ícones nos trouxeram ao longo dos anos. Jaquetas de couro, tachas, botas altas, jeans e óculos escuros são apenas algumas peças que fazem parte de nossos guarda roupa.

O rock explodiu na América em meados dos anos 50 e empolgou toda uma geração, modificando sua postura, sua dança e principalmente seu jeito de se vestir. Elvis cresceu ouvindo folk e country e partir daí foi um dos primeiros artistas da onda rockabilly, que misturava country com rhythm and blues. Gel no cabelo, jeans curto com as barras dobradas (que até então só os mineradores usavam), camiseta branca, camisa xadrez e jaqueta de couro perfecto eram suas marcas registradas.

Contemporâneo ao Elvis tinha o Buddy Holly, com estilo menos extravagante e mais nerd, ele usava gravata fininha, blazer ajustado, cardigan curto e óculos de armação pesada. (Hipster?!)

No início dos anos 60 o rock sofria influência folk e Bob Dylan fazia sucesso vestindo jaquetas de camurça, botas cowboy e ternos justos, mas o mais marcante do seu visual era o cabelo desgrenhado e os óculos Ray-Ban Wayfarer (lançado em 1952).

Em 64 o mundo conheceu Beatles, Rolling Stones e The Who. Meninos de cabelos arrumadinhos, ternos e gravatas coloridas. O visual era super moderno na época e até hoje serve de referência para novas criações.

Mais tarde esses mesmos caras mudaram suas roupas e deixaram o cabelo e a barba crescer acompanhando as transformações da música e da sociedade no final dos anos 60. No início dos anos 70 o rock já era estilo de vida e bandeira da geração Hippie. Jimmy Hendrix ditava a moda com lenços, estampas, acessórios em couro e calças boca de sino.

Jim Morrison também tinha seu estilo e na época topou fazer um editorial de moda para a grife de sua esposa, Pamela Courso.

No início da década de 70 também surgiu o glam rock que, mais que um gênero musical se tornou um estilo que se popularizou a partir de David Bowie e seu alter ego Ziggy Stardust. Muito glitter, paêtes, ombreiras e tecidos metalizados. A ideia era o visual andrógeno, misturando roupas masculinas com femininas,  maquiagem e cabelos repicados.

Bowie e Iggy Pop

A banda New York Dolls e suas botas de salto alto.

Os Stones também aderiram ao Glam como estilo.

O Roxy Music era o mais elegante do Glam.

No final da década de 70 começava o movimento Punk na Inglaterra. que surgiu com looks pensados por Vivienee Westwood e uma atitude que defendia a rebeldia, o anarquismo e a crítica social.  As bandas Ramones, The Clash e Sex Pistols usavam jeans skinny rasgado, camisetas justas, tênis ou coturno e jaquetas de couro perfecto.

.Ainda na década de 70 , a banda Kiss e o Alice Cooper também usavam referências do punk e do glam como couro, coleiras, spikes, rebites e tachas, botas de salto alto e maquiagem.

Já nos anos 80, surgem as Hair Bands, bandas de Hard Rock americanas influenciadas pelo Glam. Jon Bon Jovi inspirava com seu permanente, legging e jaqueta de couro. Os óculos escuros da época eram o modelo Aviador, Ray- Ban.

Axl Rose  e Slash do Guns N` Roses também lançaram estilo com bandana e cartola